Thales Costa, o ‘Tal’, é o nome do artista pernambucano que colore as ruas da cidade com sua arte singular. Ele mistura traços minimalistas, com pontilhismo, dá uma pitada de cor e poesia e a obra ganha vida.

O artista que começou a desenhar com 7 anos, teve como inspiração as ilustrações de contos de fadas antigos. Hoje Thales nutre uma admiração pelos trabalhos das artistas Dinha e Ianah Maia, ambas atuam no cenário recifense.

“Comecei a procurar artistas de Recife que tivessem interesse em ensinar o grafitte. Eu estava ansioso por fazer meus desenhos na parede, no concreto, e conhecer outros artistas do meio. Então conheci Dinha e nos tornamos grandes amigos e parceiros de grafite”, comenta Thales.

“Sempre que passo pelos desenhos é incrível, ver as pessoas lendo as frases que sempre coloco junto das ilustrações, é como uma semente que plantamos e todos os dias ela dá frutos”

O amor pela cidade pernambucana nasceu ainda na infância, “nasci em Carpina e desde novo vinha a Recife com minha mãe. Lembro que quando estava perto da parada eu via vários prédios antigos grafitados, era a Dantas Barreto da época. Foi dai que começou minha ligação entre Recife e a arte de rua”.

Thales também faz um trabalho social nos CAPS, com aulas de ilustração, grafitte e artesanato para usuários de drogas, e encontra nos desenhos uma forma de comunicação com a cidade e com as pessoas.11111346_1604693193076541_1017553208_n

Das ilustrações para as paredes de concreto, e então para a pele. “As pessoas começaram a comentar minhas ilustrações perguntando se eu vendia meus desenhos para tatuar, se fazia por encomenda, quanto custava, eu não tinha ideia de valores ou de como se negociava os desenhos, mas já estava achando incrível a ideia de ver as pessoas com minha arte na pele” comenta o artista.

“Não era mais parede ou papel, agora era pele, pessoas carregando meus desenhos no corpo”

A ideia das tatuagens foi ficando cada vez mais atraente e atraindo mais pessoas, no entanto a técnica do pontilhismo de Thales não era facilmente reproduzida pelos tatuadores, “foi então que decidi que iria começar a tatuar, e em muito breve estarei tatuando”, afirma ele.

Ter sua arte expressa na pele de outras pessoas tem se tornado uma experiência inexplicável “não existe palavras para expressar o que sinto. Uma pessoa se identificou com minha arte, a ponto que querer carregar no corpo, para o resto da vida. Ou como representação de um momento, pessoa ou algo especial que aconteceu em sua vida, minha arte está lá representando isso”.

Veja mais trabalhos do artistas:

Para entra em contato com o Thales Costa (Tal):

+55 81 9920 9123 / ttalcreatures.tumblr.com / instagram.com/_ttal

Related Posts

Comentários

Comentário