A França concluiu com êxito ação que ofereceu a cada cidadão que fosse ao trabalho pedalando vinte e cinco centavos de euro (o que equivale a pouco mais de R$ 0,75). Esse foi o valor que os ciclistas franceses embolsaram, no último semestre, a cada quilômetro que pedalaram para ir trabalhar.

A iniciativa, proposta pelo Ministério dos Transportes, em parceira com cerca de 20 empresas e instituições do país, visava aumentar o número de bikes nas ruas, e agora está sendo estudado para virar lei.

O governo francês acaba de divulgar balanço sobre o projeto, que atesta: entre junho e novembro do ano passado, enquanto os trabalhadores estavam recebendo bonificação em dinheiro para ir trabalhar de bicicleta, o número de bikes nos estacionamentos das empresas aumentou 80%.

Os ciclistas participantes da iniciativa pedalaram, em média, cinco quilômetros por dia – o que rendeu a eles cerca de R$ 19 por semana, repassados pelas empresas por meio de isenções fiscais.

Os franceses adoraram! Inclusive, 1/3 dos beneficiados alegou ter gostado tanto da brincadeira que passou a usar a bicicleta também para outros fins – como lazer e compras.

A iniciativa durou apenas 6 meses. No entanto, o governo prometeu que, caso apresentasse resultados satisfatórios, a medida seria expandida e já tramita no parlamento do país um projeto de lei que busca incluir o pagamento de um subsídio para todos os franceses que optarem pela bike para ir ao trabalho.

Aqui no Brasil, o Ministério Público Federal de Pernambuco aderiu desde o início de março de 2015 uma portaria que beneficia aqueles que abrirem mão do carro para irem ao trabalho de bicicleta, mas ao invés de dinheiro, o funcionário ganha dias de folga.

A cada 15 dias usando bike como meio de transporte, equivale a 1 folga no mês. Após completar 15 dias úteis se locomovendo desta maneira, os empregados encaminham seus atestados à Coordenadoria de Gestão de Pessoas, que deve autorizar o abono de um dia de trabalho, até o quinto dia útil do mês subsequente.

Antes da medida começar a valer, no entanto, a Procuradoria de Pernambuco fez questão de instalar vestiários no prédio, para que os ciclistas possam tomar uma ducha e trocar de roupa quando chegam ao trabalho. Segundo Nogueira Filho, a Procuradoria Geral da República aprovou a iniciativa e pretende expandi-la para todas as unidades do Brasil.

 Fonte: The Greenest Post/ Foto: Trailnet/Creative Commons

 

Related Posts

Comentários

Comentário