A psicóloga Janaína Leslão começou a escrever o livro “A Princesa e a Costureira” sobre uma pricesa lésbica há cinco anos, e buscou durante muito tempo uma editora para publicá-lo, mas só conseguiu há pouco tempo, uma que se interessasse, então que para as ilustrações combinassem com a história e saíssem como ela havia idealizado, a escritora resolveu fazer um financiamento coletivo para conseguir pagar pela ilustração.

O financiamento correu bem e em uma semana o valor total para as  ilustrações de “A Princesa e a Costureira” foi arrecadado. Ao ver que o financiamento realmente funcionava, Janaína resolveu criar uma meta extra para ilustrar outro livro, “Joana Princesa”.

Na primeira história, a jovem Cíntia está prometida para um príncipe do reino vizinho, porém se apaixona pela costureira responsável por confeccionar seu vestido de noiva. Janaína conta em entrevista ao BuzzFedd Brasil, que a ideia nasceu ao perceber a falta de materiais sobre o tema durante seus trabalhos com sexualidade e gênero.

enhanced-buzz-22606-1439557963-18

A psicóloga e autora diz que faltam materiais com “linguagem bem acessível e metafórica para esse público” e que os adultos, de modo geral, também não lidam bem com isso e uma leitura mais leve poderia “aguçar a curiosidade para refletir mais sobre o assunto e entender as chamadas ‘diferenças’ sem tanto preconceito”.

Neste novo livro (Joana Princesa), a trama é de uma princesa adolescente que foi chamada de príncipe João ao nascer e que começa a refletir sobre a sua identidade de gênero na adolescência. Ainda sem editora, mas com as ilustrações prontas graças à meta extra que foi alcançada, os apoiadores estão muito entusiasmados e sabem da lacuna que existe no meio editorial. “Está sendo incrível essa interação”, conta Janaína.

O público alvo são os pré-adolescentes e adolescentes por conta da quantidade de texto (o livro tem mais texto do que um livro infantil). “Mas claro que muitos adultos estão interessados nestes livros de contos de fadas para ter em casa um livro que aborde a diversidade”, diz Janaína. Para ela, as grandes editoras não se deram conta de que existe um público que quer ler uma história que vai além do “a princesa sofria muito, até que um dia o príncipe a beijou, eles se casaram e foram felizes para sempre”.

As ilustrações de “A Princesa e a Costureira” são de Júnior Caramez, e será lançado ainda esse ano, enquanto “Joana Princesa” ganhou as ilustrações de Marina Tranquilin. Para mais informações acompanhe o projeto aqui.


Conheça também o documentário Ser Criança:

Related Posts

Comentários

Comentário