A polícia russa abriu investigação sobre a  empresa norte-americana, acusada de promover “relações não-tradicionais”. Segundo o jornal The Independent, as acusações referem-se aos emojis com casais de mesmo sexo no iOS.

2015-09-28-gay-emojis-apple-russia-investiga-585x399

Se considerada culpada, a Apple será multada em cerca de 1 milhão de rublos (por volta de R$ 60 mil). Yaroslav Mikhailov, advogado e militante conservador de ultra-direita, foi quem denúncia a empresa, queixando-se das imagens, que ao seu ver, violam a lei russa, de 2013, que proíbe a “propaganda gay”.

Enquanto isso, o político autor da lei homofóbica, Vitaly Milonov, quer que o Facebook seja bloqueado por causa daquela famosa ação em junho em que a rede social permitiu que os usuários colocassem as fotos nos tons do arco-íris para comemorar a aprovação do casamento gay nos Estados Unidos.

2015-09-28-vladimir-putin-propaganda-gay-60-minutes-585x423

No domingo (27), o presidente russo Vladimir Putin disse que as violações aos direitos humanos em seu país são exageradas no exterior, e que os LGBT não são perseguidos na Rússia e estão livres para “viver em paz”, desde que eles fiquem dentro da esfera de uma lei de 2013 que proíbe a “propaganda das relações sexuais não-tradicionais” para os menores.

“Nós não fazemos nenhuma perseguição”, disse Putin, ao programa “60 Minutes”, da CBS. “As pessoas de orientação sexual não-tradicional vivem em paz, elas são promovidos, recebem prêmios estaduais por suas realizações na ciência, nas artes ou outras áreas. Eu, pessoalmente, já entreguei medalhas a eles”.

Questionado se condenaria uma lei que tornasse ilegal ser gay em seu país, Putin respondeu com um sonoro “sim”. “Eu definitivamente condenaria isso”, disse ele. “Eu acredito que não deveria haver qualquer processo criminal ou qualquer outra acusação ou violação dos direitos dos povos, com base em sua raça, etnia, orientação religiosa ou sexual. Nós não temos isso.”

Já quando o tema da conversa foi especificamente a controversa lei que proíbe a “propaganda gay” (sancionada em 2013), ele disse: “Eu não vejo nada de antidemocrático neste ato jurídico. Creio que devemos deixar as crianças em paz. Devemos dar-lhes uma chance de crescer, ajudá-los a perceber quem são e decidir por si mesmos.”

Related Posts

Comentários

Comentário