Em um momento histórico para o Brasil e o mundo, onde os direitos civis das mulheres estão em profunda reflexão, desde às leis retrógradas brasileiras que vêm restringindo o acesso à saúde básica para as mulheres, às confusões sobre questões de gênero, diversidade, feminismo, e lá fora, passando por Hollywood, onde assistimos no discurso do Oscar, uma declaração a respeito da igualdade de salários e o prêmio histórico no Emmy para a primeira atriz (dramática) negra.

E eis que surge em meio a tudo isso, o filme “As Sufragistas”, que narra a história das mulheres inglesas do início do século XX, que saíram às ruas em protestos por direitos trabalhistas, igualdade de direitos civis dos homens e lutavam contra a opressão do governo e da polícia.

Distribuído pela Universal Pictures, o filme pretende entrar na corrida dos indicados ao Oscar em 2016, e já está envolvido em polêmicas desde as últimas semanas, por questões sobre feminismo e escravatura. O longa vem recebendo uma campanha crescente de divulgação, que estava indo muito bem até Meryl Streep, uma das estrelas, dar uma entrevista onde rejeitou ser classificada como feminista. “Eu sou uma humanista. Sou a favor de um bom e simples equilíbrio”, disse a atriz.

A declaração foi apontada como controversa, já que a própria aplaudiu de pé o discurso de Patricia Arquette sobre igualdade de salário das mulheres durante premiação deste ano, e agora estrela um filme claramente feminista. A questão que foi levantada é de o porquê ainda assim ela não se assumir como tal.

Logo depois o elenco, que ainda conta com Carey Mulligan e Helena Bonham Carter, posou para um ensaio com uma camisa com a frase: “Prefiro ser rebelde do que escrava”. Bastou a foto ser divulgada para novamente questionarem a campanha do filme, já que apenas mulheres brancas aparecem no ensaio falando sobre escravidão. Comenta-se ainda que não há nenhuma influência de mulheres negras na revolução mostrada no longa. Outra vertente levantada nas redes é de que a frase pode indicar que os escravos tinham uma parcela de culpa em sua situação por não se rebelarem.

suffragette-585x328

Fora de contexto, a frase realmente soa estranho, no entanto a definição de trabalho escravo, tratada na campanha, e na época, está ligada a “jornada exaustiva” e “condições degradantes de trabalho”, independente da etina ou da cor da pele a qual o indivíduo se declara.

A frase foi dita em um discurso da ativista Emmeline Pankhurst, papel vivido por Meryl Streep no filme: “Eu sei que as mulheres, uma vez convencidas de que estão fazendo o certo, que sua rebelião é certa, seguirão em frente, independentemente das dificuldades e perigos, sempre que houver uma mulher que leve a bandeira da revolução. Eu prefiro ser um rebelde do que uma escrava”.

Após as discussões, o veículo que publicou a imagem assumiu que a frase apareceu fora de contexto e que em momento algum eles tiveram a intenção de ferir a sensibilidade sobre a questão da escravidão. Ainda assim, as discussões parecem ter respingado no longa, que tem Abi Morgan (‘A Dama de Ferro’) assinando o roteiro.

Baseado em fatos reais, As Sufragistas conta com Helena Bonham Carter no papel de Edith Ellyn, uma ex-professora que passou a ajudar nas campanhas da organização “Women’s Social and Political Union”, quando rodou a Inglaterra para mobilizar mulheres a lutar por seus direitos, incluindo, principalmente, o direito ao voto. Meryl Streep interpreta Emmeline Pankhurst, líder do movimento pelo sufrágio feminino, fundadora da WSPU.

A atriz Carey Mulligan interpreta Maud Watts, que trabalha com seu marido em uma lavanderia. Um dia, Maud reconhece uma companheira de trabalho entre os manifestantes de um grande protesto e percebe que deve reivindicar sua dignidade”. E a direção é de Sarah Gavron (Um Lugar Chamado Brick Lane).

A produção recebeu 65% de aprovação no Metacritic, site que reune reviews de críticos e veículos notáveis. Isso definitivamente diminui a chances do filme chegar à premiação, que costumeiramente foge de polêmicas. O filme estreia no Brasil no dia 24 de dezembro, e teve seu trailer legendado essa semana.

Confira o trailer de “As Sufragistas”:

Related Posts

Comentários

Comentário