O Ministério da Cultura anunciou a abertura de um edital para o financiamento de 22 filmes brasileiros de baixo orçamento. Serão destinados um total de 5 milhões aos projetos. O objetivo do Ministério é dar representatividade e diversidade às produções nacionais.

O edital prevê dez projetos de temática livre, nove longas-metragens infanto-juvenis, e três filmes, também de tema também, que deverão ser dirigidos por diretores negros. A prática de reservar cotas étnicas já ocorreu para a produção de curtas-metragens, mas é a primeira vez que é aplicada a resguarda para projetos de longas.

Ainda se preocupando com a distribuição geográfica dos benefícios,o governo determinou um número máximo de filmes contemplados por região brasileira. A inscrição dos projetos começa no dia 19 de janeiro.

Em 2015, os filmes “O amuleto”, de Jeferson De (da foto matéria), “Quase samba”, de Ricardo Targino, e “O grande kilapy”, de Zezé Gamboa, os três de diretores negros, fizeram muito sucesso e foram bem recebidos pela crítica.

Segundo a coordenadora do Fórum Itinerante de Cinema Negro (Ficine), Janaína Oliveira, o cinema negro brasileiro alcançou qualidade internacional e já é referência, embora pouco conhecidos no próprio país. A premissa veio após percorrer festivais internacionais discutindo e divulgando produções brasileiras que representam a desconstrução dos estereótipos e ampliam as representações nos espaços mais diversos. Saiba mais.

Related Posts

Comentários

Comentário