A tarde deste domingo (6) foi um dia muito especial na vida de muitas pessoas, mas mais ainda para aquelas que lutam para uma vida de direitos e dignidade, e que mesmo em meio a tantos contratempos fazem de suas pequenas revoluções diárias, uma conquista de toda comunidade, são elas os casais homoafetivos que se uniram numa cerimônia de casamento coletivo, que se tornou na maior já realizada do mundo.

A casamento foi uma iniciativa do Rio sem Homofobia em parceria com a Defensoria Pública, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, com o apoio da Associação de Registro de Pessoas Naturais, em sua sexta edição, onde 185 casais oficializaram a união na Zona Norte do Rio.

Segundo os representantes do Rio Sem Homofobia, é o maior casamento homoafetivo coletivo já realizado no mundo. Durante a celebração, marcada pela presença da família dos casais, num ambiente de alegria, descontração e muita emoção, os noivos e noivas compartilharam com os amigos a realização de um sonho e a conquista de visibilidade, espaço e respeito.

Em entrevista ao G1, o cabeleireiro Devison Dernandes e o operador de micro Diego Barreira, juntos há mais de um ano, contaram que planejavam oficializar a união no ano que vem, na Argentina, e viram no casamento coletivo uma  oportunidade de aproveitar e reunir os convidados mais especiais para esse momento. “O reconhecimento é importante. Isto que está acontecendo aqui hoje é uma conquista. É o reconhecimento de que somos iguais diante da sociedade”, afirmou Devison.

devidonediego casal homoafetivo

Devison Dernandes e Diego Barreira, juntos há mais de um ano.

História que se assemelha a da frentista Monalisa Fernanda e a cabeleireira Priscila Fernanda buscavam, “a gente tinha planos de se casar. Quando abriram as inscrições, decidimos não desperdiçar a oportunidade”, conta Priscila. “É um sonho. Estamos selando o nosso amor. Isso é mais do que uma aliança no dedo. É um símbolo de direitos iguais”, acrescenta Monalisa.

monalisaepriscila casal homoafetivo

Monalisa Fernanda e Priscila Fernanda.

No discurso do coordenador do Rio sem Homofobia, Cláudio Nascimento, “este é um momento onde a comunidade LGBT garante o direito de reconhecimento, garantido pela Suprema Corte deste país. Todos podem celebrar as suas uniões e ter segurança jurídica de suas relações. Amar é um direito. E estamos aqui para celebrar o amor”.

A atriz e cantora Jane di Castro participou do evento cantando a música “Emoções”, de Roberto Carlos. Jane está presenta desde a primeira edição e se casou na edição do evento de 2014, selando uma união de 47 anos, a cerimônia tem dimensão histórica, “um evento como este é importantíssimo. Na minha época era impensável você cogitar casar com uma pessoa do mesmo gênero que o seu. Por isso, este casamento simboliza não só estas uniões, mas a evolução da sociedade”.

“Esta cerimônia é a consolidação do fim da discriminação. Simboliza o acesso a todos dos direitos previstos em lei”, afirmou a juíza de paz Raquel Cipriani, que celebrou as uniões. “Para nós é um prazer, porque é o acolhimento destas pessoas na sociedade”.

Fotos: Cristina Boeckel/G1

Related Posts

Comentários

Comentário