Um homem que cumpre pena de 31 anos de prisão por roubo e estupro foi aprovado em primeiro lugar no Sisu/Enem (Sistema de Seleção Unificada) para uma vaga no curso de Letras Noturno da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Na Paraíba, dos 64 inscritos no Sisu, 9 presos conseguiram pontuação para o ensino superior, nessa primeira lista.

Rodrigo Antônio Monteiro, 35 anos, foi classificado após prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No geral, o preso fez 601,8 pontos. Na redação 760. Ele está preso na penitenciária há um ano, mas cumpre pena há quatro anos em regime fechado no sistema penitenciário da Paraíba. “Foi uma surpresa nossa. Foram inscritos 42 reeducandos no Enem e nessa primeira lista três passaram para os cursos: Letras; Pedagogia e Produção Sucroalcoleira, todos da UFPB. A Máxima foi a unidade prisional que mais inscreveu detentos no Enem 2015”, falou o diretor João Sintônio.

Moteiro concluiu o ensino médio dentro do Presídio Silvio Porto, onde ficou durante três anos, após receber a condenação. Para ocupar o tempo ocioso, ele foi convencido por assistentes sociais e direção da unidade a assistir às aulas do curso preparatório para o Enem.

“A gente faz um trabalho nas celas comunicando e informando sobre a prova. Muitos deles se interessaram e daí começamos com cursos preparatórios para o Enem com os nossos professores. Há revisão sobre os conteúdos que poderão estar no exame e os interessados assistem às aulas e estudam na biblioteca”, comentou Sintônio orgulhoso pelo trabalho desenvolvido em equipe.

Após a aprovação, uma nova batalha começou para Rodrigo Monteiro cursar Letras. “A Lei de Execuções Penais não autoriza o gestor a saída de forma administrativa dos reeducandos para estudos, apenas para velório de parentes, audiências e hospitais. Entretanto, vamos comunicar a aprovação dos presos a Vara de Execuções Penais para que eles façam o ensino superior. Todos serão matriculados dentro do prazo conforme divulgado pelo Enem”, adiantou o João Sintônio.

Via: Portal Correio

Related Posts

Comentários

Comentário