De acordo com a agência de notícias IPC Digital, as empresas japonesas estão aumentando o apoio dado para à população de LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) em meio ao crescente entendimento social sobre tais pessoas.

Algumas dessas empresas estão se esforçando para criar um melhor ambiente de trabalho para funcionários LGBTs e outras já tem participado de eventos relacionados com o tema.

Nos tempos em que a sociedade japonesa tem mostrado um maior esclarecimento sobre orientação sexual e identidade de gênero, a atenção pública tem se voltado para as empresas e espera-se que elas aumentem seus esforços para melhores respostas no assunto.

De acordo com uma pesquisa feita em 2015, pela maior agência de publicidade do Japão, Dentsu Inc., conduzida com cerca de 70.000 pessoas com idades entre 20 e 59 anos, 7.6% afirmaram serem lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros.

OInstituto Nacional de População e Seguridade Social também entrevistou 1.259 homens e mulheres entre 20 e 79 anos, a respeito do que pensavam sobre o casamento gay em geral. Essa foi a primeira pesquisa nacional sobre o assunto. E os resultados ficaram divididos, com quase 49% contra; e com apoio total ou parcial tornando-se maioria em 51,1%.

Dos entrevistados, 47% responderam que não teriam problema se soubessem que seu amigo fosse gay; enquanto 50% disseram não se importar se descobrissem que sua amiga fosse lesbica. A pesquisa também observou que aproximadamente 30% dos homens na faixa dos 40 anos, não se importariam se descobrissem que seu colega de trabalho fosse gay.

Veja também: ONU DIVULGA NOVO MANUAL SOBRE DIREITOS LGBTS NO TRABALHO

A Organização das Nações Unidas (ONU) e seus parceiros no Brasil republicaram uma versão revisada e ampliada do manual “Construindo a igualdade de oportunidades no mundo do trabalho: combatendo a homo-lesbo-transfobia”, sobre direitos LGBTs no trabalho.

O manual foi construído de forma participativa, e divulgado pela primeira vez, em setembro de 2014, com a colaboração das Nações Unidas e mais de 30 representantes de empregadores, trabalhadores, governo, sindicatos e movimentos sociais ligados aos temas LGBT e HIV/AIDS. Saiba mais

Related Posts

Comentários

Comentário