O carnaval em Salvador esse ano será diferente, e pra muito melhor. A maior festa popular do mundo vai vetar quaisquer músicas machistas e homofóbicas, em frases ou no teor da composição, em seus trios elétricos e carros de som. A determinação é do Conselho Municipal do Carnaval e o descumprimento da norma levará a punição municipal.

As regras fazem parte da campanha “Respeito é bom e eu gosto, e no carnaval mais ainda”, e veta também incitação ao ódio ou desqualificação de negros e mulheres. Ainda na resolução, os trios e carros de som serão obrigados a exibir na lateral, um banner com a mensagem: “Exploração sexual de crianças e adolescente, discriminação racial, homofobia (lgbtfobia) e  violência contra mulher são crimes Denuncie! Ligue 100!”.

Veja também: MULHERES CRIAM TATUAGENS FEMINISTAS CONTRA ASSÉDIO NO CARNAVAL

Aos artistas, associados e agremiações foi negado o uso de objetos também considerados machistas e homofóbicas, que incitem ou provoquem violência física, moral, psicológica, ou a desvalorização das mulheres, negros e população LGBT. Dentre os órgãos e serviços envolvidos na ação estão a Secretaria da Reparação e o Observatório da Discriminação Racial, LGBT e Violência contra Mulher.

Homofobia

No carnaval do ano passado uma música “Quem banca é o viado”, do cantor Robyssão, gerou polêmica em Salvador e foi denunciada pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), resultando nas ações contra o machismo e a homofobia.

Além de denunciar o Grupo Gay da Bahia decidiu combater a homofobia usando a música como ferramenta, e criou um concurso para eleger uma canção que respondesse ao preconceito, com um prêmio de R$ 1 mil para o vencedor. A música vencedora foi “Mais Amor Por Favor”, composta pela professora soteropolitana Salete Maria e gravada pelo cantor Mr. Galiza que, coincidentemente, é considerado o maior concorrente de Robyssão.

Com informações Guia Gay Salvador

Related Posts

Comentários

Comentário