O ator norte-americano James Dean, considerado um ícone cultural de personificação da rebeldia e angústias próprias da juventude da década de 1950, ganhou uma biografia escrita por Darwin Porter e Danforth Prince, e dentre tantas polêmicas envolvendo o ator, a de que ele teria sido escravo sexual do também ator Marlon Brando, é a que vem ganhando maior destaque.

A publicação conta que Brando conheceu o intérprete de Juventude Transviada (1955) em Nova York, onde ele aproveitou para confessar seu amor e admiração, e foi surpreendido por um beijo do ator de O Poderoso Chefão.

Escrito por dois veteranos jornalistas de celebridades que conheceram as duas estrelas de Hollywood, o livro traz entrevistas de alguns dos amigos dos atores, incluindo o compositor Alec Wilder. “Definitivamente eram um casal. É possível dizer que a ‘fidelidade sexual’ não fazia parte de seus vocabulários”, lembra Wilder, e acrescenta que o próprio Dean lhe contou sobre o affair.

As polêmicas revelações ainda detalham a vida sexual do casal, que gostava de praticar jogos sadomasoquistas. De acordo com o escritor Stanley Haggart, amigo de Dean, Brando supostamente se divertia em apagar cigarros no corpo de Jimmy.

Veja também: JAMES FRANCO FALA SOBRE FASCÍNIO COM O MUNDO QUEER

O escritor afirma que enquanto o protagonista de Apocalipse Now gostava de atormentar seu jovem companheiro, a quem via como um mero brinquedo sexual, Dean estava completamente apaixonado. “Acredito que Brando usava Jimmy sadicamente, que o seguia por todos os lados com a língua de fora”, explica.

Segundo o jornal britânico Daily Mail, o livro também afirma que Dean manteve relações íntimas com Walt Disney, que muitos afirmam ter sido homossexual, mesmo sem que exista uma comprovação.

Related Posts

Comentários

Comentário