A partir do dia 1º de julho, a Igreja Evangélica de Berlim, Brandemburgo e Oberlausitz, no leste da Alemanha, realizará o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O sínodo da igreja, reunido em Berlim, deu sinal verde ao casamento homoafetivo por 91 votos favor e 10 contra, e se transformou na terceira igreja protestante regional que o permite na Alemanha, após as de Hessen-Nassau e Rheinland, ambas no oeste do país.

Desde 2002 a Igreja Evangélica de Berlim, Brandemburgo e Oberlausitz, que tem cerca de um milhão de fiéis, oferecia um ofício religioso para abençoar estas uniões, mas diferenciado do casamento. Esse ofício dava direito a uma cerimônia com troca de alianças.

Em declarações ao jornal “Tagesspiegel”, o bispo de Berlim, Markus Dröge, ressaltou a necessidade de acolher todos aqueles casais que, em sua diversidade, querem formar uma família cumprindo as obrigações definidas pela igreja.

Há um ano o sínodo se mostrou a favor dos matrimônios homossexuais e encarregou a direção da igreja evangélica de preparar um projeto com a nova liturgia. Segundo o último anuário da igreja evangélica da Alemanha, o protestantismo conta com mais de 23 milhões de fiéis no país, enquanto 24,2 milhões de cidadãos se declaram católicos.

No entanto, a Igreja permitirá um “período de transição”, segundo jornais alemães, que irá durar cinco anos onde os pastores poderão se recusar a oficiar casamentos homossexuais por motivos de consciência.

Veja também: MUSEU DE BERLIM RECEBE EXPOSIÇÃO DE QUADRINHOS LGBTS

No Brasil

A Igreja Contemporânea foi a primeira catedral gay, fundada em setembro do ano passado, para driblar a guerra entre evangélicos intolerantes e homossexuais cristãos. A intenção dos fundadores é minimizar a importância da orientação sexual dos fieis e focar no evangelho. “As pessoas estão sedentas pela palavra de Deus. Não queremos que elas mudem para ser aceitas. Estamos abertos para pessoas que se sentem excluídas”, prega Fábio.

Related Posts

Comentários

Comentário