Marília Gabriela diz que o TV Mulher a fez uma mulher mais inteligente. Mais uma vez, o Canal Viva nos presenteia com a volta de um programa que marcou época. Um programa querido, simpático, charmoso e inteligente. O programa pioneiro no gênero, é copiado até hoje por várias emissoras.

O que foi tema e fez sucesso em 1980, volta repaginado, mas com assuntos ainda considerados difíceis de falar. Marília Gabriela reúne todas as condições de uma excelente apresentadora, e inteligente para entrevistar, reunindo o que poucos jornalistas possuem.

tvmulher

Foi emocionante o primeiro programa. Arrepiei-me quando ao entrevistar a filha de Elis Regina, a cantora Maria Rita, ao passar cenas do TV Mulher de 1980 na Globo, aliás o programa iniciou com Elis Regina dando entrevista no primeiro TV Mulher de 1980. Ótima entrevista feita com a vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) ministra Cármen Lúcia abordando temas como o assédio sexual, e com o autor de novelas Aguinaldo Silva.

Gabi é a grande anfitriã do programa, porém não está sozinha. Tem a presença do seu filho, Theodoro Cochrane, que faz entrevistas e assina o figurino do programa. Também há outros colunistas que fazem parte do programa, focando moda, comportamento e sexo. Quem não se lembra de Marta Suplicy falando abertamente sobre sexo e Clodovil de moda no antigo programa.

Os quadros dos colunistas estão sucintos, isso é bom e dá agilidade ao programa, que tem bem menos tempo do que nas manhãs da década de 80. Na época o programa passou por algumas polêmicas, poderiam se repetir pois foram cômicas, como quando Clodovil abandonou o programa ao vivo, por discordar de Gabi, e quando Ney Gonçalves Dias, jornalista que participava do programa, caiu sobre a mesa de notícias.

Veja também: ERVAS VENENOSAS – AS VILÃS MAIS PEÇONHENTAS DA TV BRASILEIRA: PARTE 1

Ao ouvir a música tema de abertura Cor de Rosa Choque, fiquei mais vidrado ainda no programa, pois foi mantida a música de 1980, desta vez nas vozes de Arnaldo Antunes e Tulipa Ruiz, em 1980 por Rita Lee e Roberto de Carvalho. O programa está moderno, mas o estilo lembra muito o dos anos 1980, e isso fascina, dá o tom de rosa choque.

São apenas dez programas que o Viva produziu. Nos anos 1980 ficou seis anos no ar. O troféu Imprensa poderia ser aberto aos programas da TV paga, que,  sem sombra de dúvida, Gabi o conquistaria pelo TV Mulher. Parabéns Gabi, que o estreou no dia de seu aniversário.

 

marcelo nava

Related Posts

Comentários

Comentário