Quando eu soube que o Cauã Reymond ia interpretar uma travesti num clipe, eu imaginei a chuva de críticas que cairia sobre ele. Eu mesma torci o nariz, mas decidi esperar pra ver como seria o tal clipe.

Acabei de ver, e só posso dar meus parabéns para o Cauã, para a cantora Barbara Ohana, e os diretores Daniel Rezende e Allexia Galvão.

A representatividade importa? Importa muito. Eu quero cada vez mais travestis e pessoas trans interpretando a si mesmas em clipes, filmes, séries, novelas, etc. Mas hoje a visibilidade pra nossa história é tão importante quanto a representatividade. Se as duas vierem juntas é ótimo, mas caso não venham, pelo menos um passo foi dado. Antes de mais nada, nossa história não faz parte da vida das pessoas. A violência a que estamos sujeitas é de conhecimento público, mas é propositalmente ignorada.

Travestis são espancadas e mortas todos os dias, mas as pessoas ignoram. Então, num clipe isso ser pincelado é importante. Isso ser feito usando um ator de muito destaque é tão importante quanto. Não estamos falando aqui de um filme ou de uma novela, que teriam grande audiência e repercussão mesmo se usasse uma atriz trans desconhecida. Estamos falando de um clipe de uma cantora que ainda não tem a popularidade merecida. Então ela usar uma atriz trans/travesti não traria, infelizmente, grande impacto e visibilidade para a história.

Acredito que muita gente vai ver o clipe só por causa do Cauã e vai acabar pensando “nossa, que covardia bater numa travesti só por ela ser travesti”. Mas é isso, travestis apanham só por serem travestis.

“Ah, mas Lana o clipe está reforçando estereótipos”. Qual estereótipo? O de que a maioria das travestis está na prostituição? O de que elas estão sujeitas a violência o tempo todo? Antes de serem estereótipos, são verdades, infelizmente. E no clipe está evidente que a travesti é a vítima. Como também está evidente que as pessoas que as espancam e as violentam de alguma forma não passam de covardes. E o clipe ainda traz uma coisa muito falada no feminismo e muito importante de ser propagada: sororidade.

E o Cauã, claro, interpretou muito bem. A sensibilidade no olhar da sua personagem é tocante.

Assista ao clipe de Your Armies:

lana de holanda

Related Posts

Comentários

Comentário