“E no final ideal não terás domínio sobre mulher alguma”, é apenas uma das frases emblemáticas que fazem parte do vídeo-manifesto Selvática(s), idealizado por Olívia Ferreira e Angela Perini. A ideia surgiu espontaneamente pela urgência do agora, onde a letra pulsante de Karina Buhr se torna grito de diversas mulheres pelos seus direitos. A faixa, que conta com as forças únicas de Elke Maravilha e Denise Assunção, é também título do disco de Karina, que foi lançado no fim de 2015.

Nessa releitura, o manifesto começa logo de imediato refazendo o que foi dito, ‘’Refaço! Rechaço! Não lhe devemos nada!’’, e segue numa crescente constante de cortes curtos com mulheres de todo o mundo, criando uma sequência poética e plural em cima do texto.

O roteiro a princípio, era filmar cada uma dessas mulheres – anônimas ou não – individualmente, onde elas leriam o texto a sua maneira. No entanto, conforme o projeto tomou corpo e vida própria, deixou de ser apenas das idealizadoras e virou de todas elas. A cada segundo do manifesto, fica mais evidente desconstrução do arquétipo feminino. ‘’Refeito o começo bíblico, não ferirás nenhum corpo por ser feminino, com faca, ou murro, ou graveto, eu te prometo!’’.

Em um país que uma em cada cinco mulheres já foi espancada pelo companheiro ou ex, esse se torna um grito de luta e resistência. Orgânico e direto. Espada em punho na mão de todas as Selváticas que participaram do projeto. Todas as guerrilheiras curdas vitoriosas de todos os dias.

Karina Buhr sobre o vídeo:

“O impacto do vídeo durou em mim todo o tempo dele, do primeiro ao último frame, da primeira a última respiração de cada mulher. Um presente daqueles! Um recado forte de que sim, Selvática foi pra rua, num vômito de palavras e tocou pessoas bem onde desejou tocar. Que sensação deliciosa! E a força que isso representa quando mulheres comem um texto e o cospem de volta pro mundo, cada uma do seu jeito e também nos cortes da edição, nas ideias de Olívia e Angela, de trazer essa e aquela e mais aquela maravilhosa (fora tantas outras que participaram de outras formas e não aparecem ali, mas vivem ali) pra junto, nessa beleza de poesia viva que fazemos juntas. Algumas delas, vejam só, eu já tinha pensado (pra uma feito convite meio misterioso) pra cantar Selvática comigo no show…

E essa letra, simplesmente como poesia, sem guitarras, baixo, teclado ou bateria, formam comigo também no meu momento livro, sarau, Poetry Slam, Spoken Word… Tá tudo certo. Tudo no tempo. Tudo muito forte. Obrigada, mujeres!!!”

Ouça a música com participação de Elke Maravilha e Denise Assunção: https://www.youtube.com/watch?v=sE6lyYt5lSM (letra: Karina Buhr / música: Bruno Buarque, Mau e André Lima)

Related Posts

Comentários

Comentário