A pesquisa realizada pela Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres afirma que homens gays que moram com o namorado têm menos riscos de ter problemas psicológicos, e cerca de 50% menos probabilidade de sofrer com depressão.

O estudo mostra que quem compartilha a vida a dois são menos propensos a sofrer de ansiedade ou tentativa de suicídio, em comparação com homossexuais que moram sozinhos e com a família. Os pesquisadores usaram um banco de dados com mais de 6 mil respostas da Pesquisa Stonewall de Saúde de Homens Gays e Bissexuais e mapearam a saúde mental da comunidade.

De acordo com a pesquisa cerca de 6% dos gays e bissexuais até 26 anos tentaram suicídio no último ano, em comparação com apenas 1% de quem tem mais de 45 anos. Ao fazer o recorte por etnia, os números mostraram que gays e bissexuais negros são cinco vezes mais propensos a tentar o suicídio que brancos e duas vezes mais propensos a desenvolverem depressão.

Descobriu-se, também, que asiáticos costumam desenvolver quadros depressivos com mais facilidade que os brancos, mas poucos tentam se suicidar – 50% menos que os brancos. Para o Dr. Ford Hickson, professor da instituição responsável pelo estudo, conforme os homens gays vão ficando mais velhos, aprendem a lidar com o preconceito de uma forma melhor que os mais jovens, o que explicaria os dados.

Hickson conclui que grande variação das estatísticas mostra que muitas das desigualdades de “saúde mental” refletem as desigualdades da sociedade em si, entre brancos, negros e asiáticos.


Assista ao documentário Nosso Amor Existe:

Related Posts

Comentários

Comentário