A cidade do Rio de Janeiro poderá ser transformada no principal destino LGBT da América do Sul. Um acordo foi firmado entre duas fundações que estão investindo no Gay Games 2026: a carioca Rio Convention & Visitors Bureau (Rio CVB) e a International Gay and Lesbian Travel Association (IGLTA), organização global dedicada ao turismo LGBT.

Segundo o Presidente da Rio CVB, Alfredo Lopes, a economia da capital fluminense tem capacidade de ganhar em torno de US$ 40 milhões com o evento. O torneio internacional, também conhecido como os Jogos Olímpicos LGBT, surgiu em São Francisco (EUA), tem 12 dias de competição e em média 15 mil atletas.

Ainda de acordo com Alfredo, este mercado gera divisas e valoriza toda a estrutura do turismo. “Para se ter uma ideia, apenas a Parada LGBT da vizinha São Paulo gera cerca de R$ 200 milhões para a indústria e representa 75% da ocupação dos hotéis da Avenida Paulista e do Centro paulistano. Vamos trabalhar para captar outros eventos e, juntos com a IGLTA, transformar o Rio no principal destino sul-americano LGBT”, comenta ele.

Baseado nos dados da OMT, a International Gay and Lesbian Travel Association calcula que o turismo internacional LGBT movimenta, por ano, a média de US$ 100 bilhões. “O Rio de Janeiro já tem uma reputação consolidada entre os turistas como um dos principais destinos LGBT da América do Sul, porém é necessário potencializá-lo ainda mais. Sem dúvida, com esta parceria, aumentaremos o compromisso com o nosso mercado”, afirma o CEO da IGLTA, John Tanzella.

Related Posts

Comentários

Comentário