De acordo com um estudo publicado na revista científica norte americana Journal of American Medical Association Pediatrics, os estados que legalizaram o casamento igualitário entre pessoas do mesmo sexo tiveram uma diminuição de 14% nas tentativas de suicídio entre adolescentes gays, lésbicas e bissexuais, e uma queda de 7% entre alunas em geral.

Alguns estados americanos já haviam criado legislações próprias que regulamentavam o casamente civil igualitário antes que que  a união fosse lei federal, em junho de 2015.

Os estudos foram apresentados nesta segunda-feira (20), e contaram com dados de pesquisadores que compararam 32 dos 35 estados que legalizaram o casamento homossexual antes de janeiro de 2015 com os que não tinham legalizado tal união.

Os estados que não implementaram essas políticas antes da legalização federal não registraram queda nas taxas de tentativa de suicídio, destacou o estudo. “Permitir o casamento homossexual reduz o estigma estrutural associado à orientação sexual”, comenta a autora do estudo Julia Raifman, da Universidade John Hopkins, para O Globo.

Pode ter algo a ver com ter direitos iguais, mesmo que eles não tenham planos imediatos de aproveitá-los, que faz com que os alunos se sintam menos estigmatizados e mais esperançosos para o futuro”, diz Julia. O suicídio é a segunda maior causa de morte entre os jovens americanos de 15 a 24 anos, atrás de lesões acidentais.

A taxa de tentativa de suicídio entre os jovens americanos continua aumentando, com um salto de 49% nos casos que exigem atenção médica entre 2009 e 2015.

O estudo mostra que 29% dos estudantes gays, lésbicas e bissexuais relataram ter tentado cometer suicídio nos últimos 12 meses, em comparação com 6% dos estudantes heterossexuais. Para os pesquisadores que usaram dados coletados entre janeiro de 1999 e dezembro de 2015, essas tendências começaram a mudar em cinco anos antes de Massachusetts se tornar o primeiro estado americano a legalizar o casamento gay, em 2004.

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA pretende reduzir as taxas de suicídio de adolescentes em 10% até 2020, como parte do seu programa Healthy People 2020. “Todos nós podemos concordar que reduzir as tentativas de suicídio de adolescentes é uma coisa boa, independentemente de nossas opiniões políticas”, disse Raifman

Os autores do estudo sugerem que a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo tem ajudado nesse esforço. “Os formuladores de políticas precisam estar cientes de que as políticas sobre os direitos das minorias sexuais podem ter um efeito real sobre a saúde mental dos adolescentes”.

Related Posts

Comentários

Comentário