A ONG Palco começou a oferecer no final do mês passado o serviço PLURAIS, uma linha direta de mensagens via WhatsApp para pessoas LGBT tirarem suas dúvidas sobre IST (infecções sexualmente transmissíveis), HIV/AIDS e Hepatites Virais (prevenção e apoio).

O serviço inclui ainda esclarecimentos sobre os direitos civis da população LGBT, encaminhamento para atendimento psicológico e jurídico e é financiado pelo Departamento de IST/HIV/Aids e Hepatites Virais do governo federal.

O número para contato é (61) 99371-4879. Dentre os assuntos mais procurados no grupo estão informações sobre os direitos sociais de portadores de HIV, denúncia de violência e dúvidas sobre a transmissão de IST.

Segundo o site aids.gov.br, “a denominação ‘D’, de ‘DST’, vem de doença, que implica em sintomas e sinais visíveis no organismo do indivíduo. Já ‘infecções’ podem ter períodos assintomáticos (sífilis, herpes genital, condiloma acuminado, por exemplo) ou se manter assintomáticas durante toda a vida do indivíduo (casos da infecção pelo HPV e vírus do Herpes) e são somente detectadas por meio de exames laboratoriais”.

A atendimento no Brasil para pessoas diagnosticadas com HIV/Aids é integral, sendo oferecido na saúde pública desde o acolhimento psicológico ao coquetel, sem o paciente precise desembolsar nem um real. Esta informação é imprescindível para que ninguém mais sinta que “sua vida acabou” quando o exame der positivo.

Com a velocidade das plataformas de comunicação e interação, nada mais coerente do que construir uma comunicação direta e sem barreiras com as pessoas LGBT e portadoras de HIV. Ao mesmo tempo, nem toda fonte de informação na internet é confiável. Pelo menos nesse tipo de serviço, dá para a gente saber de onde vem a informação.

Com informações do Metrópoles.

 

Related Posts

Comentários

Comentário