Nesta última sexta-feira (5), pela primeira vez, Cuba recebe uma celebração religiosa presidida por pastoras transexuais. O evento inédito aconteceu na cidade de Matanzas, ao lesta de Havana, e contou com a participação de uma pastora brasileira.

Organizado pela filial cubana da Igreja da Comunidade Metropolitana Internacional, o culto fez parte de uma conferência de três dias sobre transexualidade e teologia. “Essa noite foi uma noite de celebração da igualdade entre todas as pessoas, marcando uma nova era para Cuba”, disse a pastora brasileira Alexya Salvador. “O amor de Deus é radicalmente inclusivo”.

pastoras transexuais

Fotos: REUTERS

Além da brasileira, outras pastoras dos Estados Unidos e do Canadá também celebraram o culto. A conferência aconteceu antes do décimo aniversário da celebração do Dia Mundial contra a homofobia, e é muito significativo, uma vez que durante décadas, pertencer a uma religião e ser algo que não heterossexual eram motivos de discriminação em Cuba.

Veja também:

pastoras transexuais

Fotos: REUTERS

Para a pastora Elaine Saralegui, que também é lésbica, “a conferência incentiva uma maior inclusão de transexuais e mostra que ser trans e cristão não é incompatível”. As pastoras mostraram surpresa pelo progresso do país em alguns aspecto, como o subsídio para o processo de redesignação sexual, mas lembraram também o fato de Cuba ainda não ter uma legislação para o casamento civil igualitário.

Related Posts

Comentários

Comentário