O grupo Mães Pela Diversidade que teve início em São Paulo chega em Belo Horizonte (MG), e no primeiro encontro reuniu mães, pais, filhas e filhos com um objetivo em comum, combater a intolerância e o preconceito, juntos!

“Que bom que hoje a gente pode fazer este grupo, que bom que a gente pode falar, que a gente pode escutar as histórias, que bom que a gente pode se unir nesse amor”, disse Vera Maria Leroy, mãe de um rapaz e de uma moça, ambos homossexuais.

Glaucinéia de Oliveira contou ao G1, que decidiu apoiar o filho, um homem trans, ao conhecer mais sobre o que ele estava vivendo. “Ele sofreu muito quando começou a se descobrir. Tentou se matar. Foi muito difícil. Mas eu e o pai sempre estivemos ao lado dele. Tenho tanto orgulho dele. Ele começou o tratamento hormonal e chegou a viajar para a Venezuela para tirar as mamas e o útero. É uma pessoa maravilhosa. Hoje ele é feliz. Hoje eu sou feliz também”.

“A homofobia começa dentro da casa do gay, do trans, da lésbica, da travesti. Nós precisamos ‘sair do armário’ junto com os nossos filhos”, disse a coordenadora do grupo em Minas Gerais, Myriam Salum, que tem um filho gay.

Para a Cássia Cristina da Silva, mãe de um filho homossexual e que acolheu uma mulher trans, a preocupação com os dois são muito grande. “O amor da gente é tão grande que a gente chega a perder o controle. O amor é aumentado até pela preocupação. Eu tenho medo da violência. Nossos filhos estão morrendo”, disse.

Veja também: 

O objetivo do grupo é acolher também pais e mães que estão confusos com a orientação sexual dos filhos. “Nós queremos mostrar que gays, lésbicas, travestis e transexuais têm família sim. Nós queremos que a mãe e o pai que rejeitam seus filhos nos procurem, desabafem. Nós temos que nos unir para ajudar os nossos filhos. Porque o que uma mãe e um pai querem é que eles sejam felizes e que sejam respeitados do jeito que eles são”, disse Myriam.

O Mães Pela Diversidade estará presente na 20ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte neste domingo (16) cujo tema deste ano é “Famílias e Direitos: nossa existência é singular, nossa resistência é plural”. A concentração começa às 11h na Praça do Estação, no centro de Belo Horizonte.

Com informações do G1/ Foto de Capa: Thais Pimentel/G1

Related Posts

Comentários

Comentário