De acordo com a delegada Cristiane Pires Ramos, responsável pelo inquérito que investiga a agressão homofóbica sofrida pelo casal Marcus Vinicius Beccon e Raul Silveira Weiss, as imagens das três câmeras de monitoramento enviadas pela Associação Leopoldina Juvenil podem ter sido adulteradas.

As filmagens são um elemento que pode ajudar a esclarecer as agressões físicas e psicológicas praticadas pelo pai da formanda, o empresário Pablo Beis Irigoyen, que apresenta uma versão completamente diferente.

Para a delegada, ainda não é possível afirmar se houve cortes intencionais. Ela verificou que as imagens enviadas pelo clube se desenrolam até cerca de 2h30min da madrugada do dia 5 de agosto e, depois disso, há um hiato de aproximadamente 15 minutos. As imagens são retomadas a partir de 2h45min.

“Bate com o horário que as vítimas alegam que as coisas teriam acontecido. Oficiei o clube hoje (segunda) solicitando a íntegra das imagens e uma informação sobre o que aconteceu. O prazo é de 48 horas”, informou a delegada ao Zero Hora.

Segundo o presidente do Leopoldina Juvenil, Gustavo Caleffi, “o clube só se manifestará por notas e, sobre o assunto, o que for questionado pela delegada será respondido à Polícia Civil”.

Versão das partes

A delegada tomou depoimento de cerca de três horas do casal, nesta segunda-feira, e eles mantiveram a versão, apresentando nomes de testemunhas que deverão ser ouvidas. E apontaram mais dois convidados como possíveis autores de atos de violência.

Veja também:

Na festa, uma pessoa teria jogado bebida no casal após um beijo. Beccon foi ao encontro do pai para pedir que fosse identificado e retirado do clube o responsável pelo ato. As versões, a partir daqui, são antagônicas. O casal diz que homens se aproximaram e os agrediram fisicamente por repetidas vezes. Também teriam sofrido xingamentos, sendo retirados a força por seguranças.

O relato do pai é diferente. Ele afirma ter sido abordado por três vezes por Beccon, exigindo a identificação de quem havia lhe jogado bebida, e última ocasião, o convidado estaria alterado, o que causou uma discussão mais acalorada.

Beis ainda disse que Beccon foi puxado pelo namorado, com a intenção de retirá-lo da centro da tensão. Neste momento, o publicitário teria se desequilibrado e caído no chão. O pai diz ter tentado ajudar Beccon a se levantar. O convidado, ao perceber que era o pai da formanda quem lhe dava apoio, teria se jogado ao chão novamente. Por fim, ele teria levantado e ido embora sem ser importunado.

A ausência dos trechos das imagens, justamente no momento em que o fato acontecesse traz questionamento para a defesa e ao Clube, e pode ser um instrumento a mais para reforçar os argumentos do casal.

Com informações do Zero Hora.

Related Posts

Comentários

Comentário