Um bar localizado no bairro Don Pedro, zona centro-oeste de Manaus gerou polêmica depois de chamar a comunidade LGBT de “intolerantes” e “burros” por protestarem contra uma placa homofóbica exibida no estabelecimento.

A placa “proibido viadagem”, fixada na parede e na rede social do bar O Condado, é semelhante à sinalização vertical de trânsito, com a ilustração de um veado, seguido da frase que, segundo internautas, deixa claro o tom homofóbico. Após a publicação da placa em uma rede social, o caso repercutiu na internet.

Vários usuários criticaram as atitudes do bar e compartilharam as imagens da placa com críticas. “Gerente do bar ultrapassando os limites de sem noção oficial”, “esse é o pior estabelecimento nessa cidade”, foram alguns dos comentários sobre o caso.

O proprietário Mauro Alves nega o discurso homofóbico. “Nós temos várias placas em todas as paredes do bar. Existimos há sete meses e nossos clientes sabem e curtem como forma de zoeira os memes que imprimimos e colocamos na parede, sem maldade. Tenho familiares aqui que são homossexuais. Pessoas que nunca vieram aqui nos julgam, mas não conhecem como funcionamos aqui”, disse o dono do bar ao comentar a repercussão da placa.

Em vez de se desculpar pelo ocorrido, o bar usou sua página oficial no Facebook para ofender as pessoas que se sentiram incomodadas com a “placa zoeira”.

“Eis que o povo que nunca pisou no bar acha do bar. Apenas por causa de umas placas zoeiras que todos nossos clientes adoram e se divertem. Se vc (sic) se ofende atoa (sic) realmente aqui não é o seu lugar. O povo LGBT mostrando realmente como são intolerantes e burros. Pois falar isso é acusar o lugar de algo sério sem nunca sequer vieram aqui (sic) “, dizia trecho da postagem.

Veja também:

Ao G1, o proprietário disse que agiu de “cabeça quente” por ter se aborrecido com a repercussão negativa. “Eu falei coisas que não devia [na publicação]. O meu sangue estava alto e peço desculpas. Agora não peço desculpas a quem fez isso com a gente, pois não destratamos ninguém. Não somos homofóbicos e nunca vamos ser”.

A página do bar foi retirada do ar, e em nota o Facebook informou que deixa claro que a rede social tem “Padrões de Comunidade que orientam em relação ao conteúdo de discurso de ódio na plataforma, além de uma política de denúncias onde conteúdos denunciados são analisados e, quando ferem os padrões, são removidos”.

Com informações do G1. | Fotos: Patrick Marques/G1 AM.

Related Posts

Comentários

Comentário