APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) divulgou esta semana os 25 melhores discos nacionais lançados neste segundo semestre, finalizando a lista dos 50 melhores do ano.

Entre os eleitos, há os novos trabalhos de Chico Buarque (“Caravanas”), Guilherme Arantes (“Flores e Cores”), João Bosco (“Mano Que Zuera”) e Os Paralamas do Sucesso (“Sinais do Sim”), e os discos de revelações, como o baiano Baco Exú do Blues, e a paulista Linn da Quebrada.

Caracterizado por Linn como um disco de “afro-funk-vogue”, o primeiro álbum da cantora, o excêntrico e político Pajubá, é um álbum visual produzido de forma independente e conta com 14 clipes.

Capa do disco visual Pajubá.

No estilo Lemonade (Beyoncé), a cantora aborda questões ligadas ao sexo, universo do trans-feminismo e comunidade LGBT. Uma verdadeira celebração à resistência. O disco ainda conta com participações da Mulher Pepita em Dedo nucué, faixa sobre o prazer sexual; Gloria Groove em Necomancia; e Liniker Barros em Bomba pra caralho e Serei A, com percussão que evoca o batuque de religiões afro-brasileiras como o candomblé.

Linn ainda concorre na categoria Artista Revelação, ao lado da drag queen Pabllo Vittar. Na categoria Artista do Ano, Anitta concorre ao lado de Chico Buarque, Mano Brown e Rincon Sapiência, que também disputa com Chico e Pabllo na categoria Música do Ano.

Confira a lista dos 50 melhores discos do ano.

01. A Espetacular Charanga do França – Chão Molhado da Roça
02. Aláfia – SP Não é Sopa
03. Apanhador Só – Meio Que Tudo é Um
04. Baco Exu do Blues – Esú
05. Barbara Eugenia e Tatá Aeroplano – Vida Ventureira
06. Boogarins – Lá Vem a Morte
07. Chico Buarque – Caravanas
08. Corte – Corte
09. Criolo – Espiral de Ilusão
10. Curumin – Boca
11. Djonga – Heresia
12. Do Amor – Fodido Demais
13. Domenico Lancellotti – Serra dos Órgãos
14. Don L – Roteiro Pra Aïnouz vol.3
15. Edy Star – Cabaré Star
16. Far From Alaska – Unlikely
17. Felipe S. – Cabeça de Felipe
18. Flora Matos – Eletrocardiograma
19. Giovani Cidreira – Japanese Food
20. Guilherme Arantes – Flores e Cores
21. Hamilton de Holanda – Casa de Bituca
22. João Bosco – Mano Que Zuera
23. João Donato + Donatinho – Sintetizamor
24. Juliana R – Tarefas Intermináveis
25. Kiko Dinucci – Cortes Curtos
26. Letrux – Em Noite De Climão
27. Linn da Quebrada – Pajubá
28. Lucas Santtana – Modo Avião
29. Luiza Lian – Oya Tempo
30. Maglore – Todas as Bandeiras
31. Matéria Prima – 2Atos
32. Mopho – Brejo
33. My Magical Glowing Lens – Cosmos
34. Nação Zumbi – Radiola NZ Vol. 1
35. Negro Leo – Action Lekking
36. Nina Becker – Acrílico
37. Os Paralamas do Sucesso – Sinais do Sim
38. Otto – Ottomatopeia
39. Pato Fu – Música de Brinquedo 2
40. Paulo Miklos – A Gente Mora No Agora
41. Rimas & Melodias – Rimas & Melodias
42. Rincon Sapíencia – Galanga Livre
43. Rodrigo Campos – Sambas do Absurdo
44. Rodrigo Ogi – Pé no Chão
45. Tiê – Gaya
46. Tim Bernardes – Recomeçar
47. Trupe Chá de Boldo – Verso
48. Vermes do Limbo + Bernardo Pacheco – Berne Fatal
49. Vitor Ramil – Campos Neutrais
50. Zé Bigode – Fluxo


Veja também:

Hooker, Liniker e o beijo que escancarou o ódio e a homofobia pelas redes sociais

Sons subversivos: O primeiro disco gay da história da música

Related Posts

Comentários

Comentário