O projeto Asylum, do diretor e fotógrafo Alexander Kargaltsev, voltou a ganhar destaque como forma de protesto à onda repressora que a Rússia vem vivendo. Só neste ano, o país foi acusado de sustentar a perseguição a homens gays na Chechênia, inclusive com declaração de vítimas afirmando haver um caça a homossexuais e campo de concentração.

A série fotográfica apresentada em museus e galerias de arte, foi transformada em livro (Asylum Book), e agora chega as ruas em instalações que mostram a vida de gays que tiveram de abandonar o país e pedir asilo nos Estados Unidos em razão da sua orientação sexual.

Intervenção em Antuérpia, Bélgica.

Nas fotografias os rapazes aparecem nus em pontos famosos de Nova York como o Central Park e o Brooklyn, e utilizam o corpo como uma forma de “auto exílio e auto censura”.

“Os corpos nus assim também revelam a sua experiência como refugiados, pois cada pessoa que busca refúgio reconstrói sua vida completamente ‘nua’, começando do zero, sem família ou amigos e, muitas vezes, sem o idioma que eles podem falar ou entender”, diz.

Kargaltsev nasceu em Moscou e se mudou para os Estados Unidos em 2010  depois dede ganhar uma bolsa de estudos para a New York Film Academy. Seus filmes e imagens tem uma linguagem individual, de imaginação refinada, focados na fantasia e na beleza das formas.

Veja algumas fotos do projeto Asylum:

Todos os direitos reservados à Alexander Kargaltsev.

Related Posts

Comentários

Comentário