Depois de fazer história ao se tornar a primeira atleta transexual brasileira a conseguir autorização da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), Tiffanny Abreu quebra outro tabu. Nesta terça-feira (5), anunciou a contração pelo Vôlei Bauru para a edição 2017/2018 da Superliga feminina de vôlei.

Ainda sem data para estrear, ela volta ao Brasil despois de uma temporada na Série A2 da Itália, jogando pelo Golem Software Palmi, e usará as instalações do novo time para se recuperar de uma cirurgia que fez na mão esquerda.

Com planos para continuar atuando na Europa, Tifanny havia descartado a contração a princípio pelo time brasileiro, mas depois de negociações e de conhecer a equipe e a torcida do clube de Bauru, mudou de ideia, e foi anunciada com muito orgulho pelo time paulista.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) permite a participação de atletas trans desde 2016, seguindo regras como o acompanhamento e tratamento hormonal para diminuir a quantidade de testosterona na corrente sanguínea, como é o caso de Tifanny.

Veja o anúncio do novo clube:


Veja também:

Primeira guarda municipal transgênero é do Paraná e já usa nome social

Fotógrafa cria série emocionante com pessoas Trans com mais de 50 anos

Related Posts

Comentários

Comentário